Empregos: Rondônia deverá ganhar mais 3 megalojas da Havan

Nenhum comentário

Nesta quarta-feira (31) o deputado federal Coronel Chrisóstomo (PSL) publicou em sua página facebook que havia se encontrado com o empresário dono da Havan, Luciano Hang.  Segundo o parlamentar o empresário confirmou que Rondônia deverá ganhar mais três megalojas da Havan; sendo uma em Ji-Paraná, outra em Ariquemes e mais uma em Porto Velho. (Confira a publicação).


Atualmente a Havan conta com 2 megalojas no estado sendo elas: Porto Velho e Cacoal.

As megalojas seguirão o padrão da rede e terão aproximadamente 15 mil m² de área construída e 500 vagas de estacionamento. Serão gerados aproximadamente 600 empregos direto.

Em todos os estados
O plano de expansão da Havan inclui megalojas em 26 estados, abrangendo todo o país. Segundo Hang, o Brasil tem tamanho continental e porte para tal número de unidades. “Acreditamos que cabem 300, 400 megalojas da Havan no Brasil”.  Hang também comentou sobre o porquê de não existir uma unidade sequer da Havan no Rio Grande do Sul. Hang foi sucinto sobre o assunto: “O Rio Grande do Sul é o pior estado do Brasil para investir”. Segundo ele, o governo gaúcho não acredita nos empreendedores e acaba atrapalhando as atividades empresariais, com excesso de burocracia e regulamentações.

Ainda assim, o empresário brusquense disse que o Rio Grande do Sul figura, sim, nos planos da Havan. Até 2022, o estado deverá sediar algumas filiais. Embora planeje “dominar o Brasil”, Hang disse que Santa Catarina continuará a ser o foco de atuação da Havan. Segundo ele, “o sonho” é alcançar 50 megalojas apenas em território catarinense.

“Santa Catarina é a cereja do bolo, é a Suíça brasileira”, afirmou Hang. Ele esteve recentemente no Oeste do estado e passou por diversas cidades. Na avaliação dele, há vários municípios com potencial, limpos e bem administrados que podem receber novas unidades.

Benefício para a economia
Durante a coletiva de imprensa no centro administrativo da Havan, Hang enfatizou o benefício que a abertura das novas lojas trará para a sociedade. Quando atingir 200 megalojas, em 2022, a rede de lojas deverá empregar 25 mil pessoas nos 26 estados.

O empresário destacou que, ao empreender e abrir mais unidades, a Havan cria empregos e contribui com a economia do país. Hang disse que o benefício é geral. “Esse dinheiro, automaticamente, percorre todo o ciclo econômico e promove o desenvolvimento dos municípios e do Brasil”.

Preferência pelo local
De acordo com Hang, a Havan compra de vários fornecedores brasileiros. “O que podemos comprar no Brasil, compramos aqui. Só importamos o que não tem aqui ou é muito barato lá fora, porque aqui se paga muitos impostos”.

O empresário também refutou qualquer possibilidade de que tenha planos de investir em países vizinhos, como Argentina e Uruguai. Na avaliação de Hang, o Brasil ainda tem potencial a ser explorado.

Plano para até 2022
200 megalojas
26 estados
25 mil colaboradores
Abrangendo todo o Brasil.

História da Havan

Maior rede de lojas de departamento do Brasil, inaugurada em 1986, na cidade de Brusque/SC.

Caracteriza-se pelo modelo de mega lojas de autoatendimento, com mix de mais de 100 mil itens de produtos nacionais e importados, em vários setores, aonde o cliente tem liberdade de escolha para suas compras e encontra tudo o que precisa, com qualidade e preços baixos.

O Padrão Havan 2020 alia modernos conceitos de arquitetura e visual merchandising, inspirados nos maiores centros de consumo mundiais. Diferencia-se pela facilidade do Cartão Havan, que permite pagar as compras em até 10 vezes sem entrada e sem juros. Foi a primeira empresa do varejo a adotar o horário estendido, atendendo inclusive aos domingos e feriados.

Tem forte atuação social, através de projetos como o Troco Solidário, aonde em apenas um ano arrecadou e destinou mais R$ 1,5 milhão a entidades assistenciais nas cidades que contam com filiais da rede.

Nenhum comentário

Postar um comentário