Professor petista proíbe jovem pró-Bolsonaro de assistir aula

Nenhum comentário
Afirmação foi feita pelo pai do menino de 12 anos. Caso teria acontecido no interior de São Paulo

Professor impede aluno de assistir aulas 

Um aluno de uma escola de Ribeirão Preto, em São Paulo, foi alvo da intolerância de um professor. De acordo com o pai, o menino de 12 anos foi proibido de assistir as aulas após defender o presidente Jair Bolsonaro durante debate na sala de aula. A informação foi dada pelo portal Uol.

O caso teria ocorrido na escola municipal Professora Neuza Michelutti Marzola na tarde desta quinta-feira (23). Ao veículo, o pai do jovem disse que seu filho afirmou, durante um debate, que Bolsonaro não era culpado pela situação atual do país porque tinha acabado de assumir a Presidência. Isso teria irritado o professor.

– Meu filho estava conversando com uma colega de sala sobre o governo do Bolsonaro. A menina disse que o Brasil era melhor na época do PT e meu filho disse que o presidente acabou de assumir e não tinha culpa pela situação do país. O professor ouviu, se aproximou e, falando com a amiga do meu filho, disse para que ela mandasse meu filho calar a boca – relatou.

O professor teria então continuado a atividade e perguntado aos outros estudantes se eles achavam que o Brasil era melhor na época do PT.

– Depois da enquete, ele disse ao meu filho que, só por citar o nome do Bolsonaro ele estava proibido de assistir as próximas aulas dele (…) Espero que ele seja afastado das suas funções. E que vá para Cuba ou Venezuela – desejou.

Ainda de acordo com o portal, o professor informou, em suas redes sociais, que já trabalhou para o Partido dos Trabalhadores (PT). Ele foi assessor do ex-ministro Antonio Palocci na Assembleia Estadual de São Paulo (Alesp) nos anos 1990.

Já a escola disse que “serão tomadas as providências para que o aluno tenha seus direitos preservados”.




Nenhum comentário

Postar um comentário