Cão com deficiência vira herói após salvar bebê enterrado vivo

Nenhum comentário
Um cãozinho chamado Ping Pong salvou a vida de um bebê que havia sido enterrado sob uma camada de lixo por sua própria mãe na Tailândia. Ping Pong foi aclamado como um herói tailandês, tendo sido condecorado pela polícia e até o governo da nação do sudeste asiático. O caso aconteceu no último sábado (18).

As informações são do Razões para Acreditar.

O bebê salvo havia sido enterrado em uma fazenda no distrito rural de Chumpuang, na província de Nakhon Ratchasima. Sob ele, havia uma camada de lixo para afastar qualquer curioso que passasse por ali.

O cachorro latiu bastante, ao ponto de chamar a atenção de seu dono, Usa Nisaika, que foi ver o que estava acontecendo. Ao se aproximar, percebeu o choro da criança. Ping anda com três patas após um acidente de carro danificar permanentemente uma de suas pernas.
Mesmo assim, ele ajudou a cavar o terreno até desenterrar a criança.

Os moradores da Vila Ban Nong Khan levaram a criança até um hospital. “Acho que o cachorro o encontrou logo depois que sua mãe o enterrou”, declarou à AFP o policial Panuvat Udkam. Ele acrescentou que o menino, atualmente internado em um hospital, está em bom estado de saúde.

A mãe do bebê tem 15 anos, e será processada por tentativa de homicídio e abandono de incapaz. Segundo a polícia, ela queria se livrar da criança por medo de que seus pais ficassem com raiva dela. “Então, depois de dar à luz sozinha, ela o enterrou”, relatou um agente.

“A menina está em tratamento com um psicólogo e está com os pais dela. Ela ficou extremamente assustada. Ela se arrepende do que fez e disse que agiu por impulso, sem pensar. A garota teve medo que os pais descobrissem que ela estava grávida”, afirmou Panuwat Puttakam, da polícia de Cham Phuang.
As redes sociais e a imprensa tailandesa exaltaram a ação de Ping Pong, afirmando que ele sem dúvidas é “o melhor amigo do homem, e certamente, de todos os bebês”, como dito por um internauta no Facebook. O bebê ficará sob os cuidados da família quando receber alta.




Nenhum comentário

Postar um comentário